Paulo Sande foi o primeiro cabeça de lista às europeias ouvido no CNOP, o candidato apresenta-se pelo partido Aliança

O CNOP iniciou, no passado dia 12 de fevereiro, a audição de candidatos de diferentes quadros partidários às próximas eleições europeias do próximo maio de 2019.

Paulo Sande, licenciado em direito, com experiência profissional em instituições europeias, é o cabeça de lista do partido Aliança nas próximas eleições para o Parlamento Europeu.

O ato eleitoral da União Europeia ocorre a cada cinco anos por sufrágio universal.

Os eurodeputados são eleitos para o parlamento europeu, já nos próximos dias 23 a 26 de maio de 2019, segundo anuncio do Conselho da União Europeia.

Em Portugal a previsão aponta para o dia 26 de maio.

O Conselho Geral do CNOP reuniu pela primeira vez na sede da Ordem dos Contabilistas Certificados (OCC) e teve a oportunidade de ouvir as principais ideias de Paulo Sande assentes num anunciado forte sentido de patriotismo e da sua intenção de uma crescente representatividade dos Estados nas decisões tomadas ao nível da União.

O CNOP expressou a necessidade de um maior envolvimento de cada país e sobretudo das respetivas organizações representativas de cada Estado Membro, diante de cada iniciativa legislativa do Parlamento Europeu.

Foram ainda discutidos mecanismos de consulta pública dos Governos a fim de aproximar a legislação europeia das reais necessidades de cada Estado Membro.

Outro tema a salientar foi o da necessidade de uma simplificação da linguagem técnica e institucional utilizada nos atos e comunicações da UE, sobretudo na ótica de uma maior proximidade com o cidadão.

O encontro decorreu atravessando temas tão diversos quanto a mobilidade de profissionais na UE, o sistema de reconhecimento das qualificações profissionais, o novo regulamento sobre o regime da proteção de dados pessoais e um vasto leque de legislação proveniente da UE com impacto direto na burocracia dos procedimentos portugueses em diversos níveis e setores profissionais.

O CNOP tem já agendadas sessões subsequentes de troca de impressões com diversas personalidades do cenário público e político português no sentido de pugnar sempre pelo melhor sentido de concretização do interesse público nas diversas profissões e populações destinatárias dos serviços, ambas representadas no CNOP.