Conselho Nacional das Ordens Profissionais disponibiliza-se para colaborar no acolhimento aos migrantes

O CNOP – Conselho Nacional das Ordens Profissionais vai trabalhar em parceria com as várias entidades envolvidas no acolhimento aos migrantes que Portugal vai começar a receber nas próximas semanas.

A decisão foi tomada por unanimidade pelo Conselho Geral do CNOP que representa 16 Ordens Profissionais e mais de 300 mil profissionais qualificados.

570px-refugiados

Para o presidente do CNOP, Orlando Monteiro da Silva, “a entrada diária de milhares de refugiados no continente europeu está a criar uma crise humanitária sem precedentes desde a II Guerra Mundial. Não podemos continuar indiferentes a esta realidade. Não podemos esquecer o drama vivido por estes refugiados que lutam todos os dias por uma vida em segurança. O povo português não pode esquecer que esta realidade já esteve presente na sua história e que milhares de pessoas saíram de Portugal em busca de uma vida melhor”.

O CNOP vai agendar encontros com a Plataforma Global de Assistência a Estudantes Sírios, lançada em 2013, pelo antigo Presidente da República, Jorge Sampaio, e com o Alto-Comissário das Nações Unidas para os Refugiados, António Guterres, com o intuito de perceber qual o contributo que cada ordem profissional pode dar para amenizar o drama dos refugiados.

Orlando Monteiro da Silva refere que “o CNOP disponibiliza-se para trabalhar em parceria com as várias entidades envolvidas nesta questão. Uma gota pode não fazer a diferença, mas a união de várias gotas pode, sem dúvida, dar origem a um oceano de esperança”.

O presidente do CNOP recorda que “ao ratificar a Convenção de Genebra de 1951, o Estado português comprometeu-se a acolher em território nacional indivíduos com o estatuto de refugiados. Contudo, esta responsabilidade não cabe apenas ao Estado e, nesse sentido, o CNOP tomou a iniciativa de apoiar os refugiados que Portugal vai acolher”.